Pular para o conteúdo principal

Veja entrevista com Monica Sousa, filha de Mauricio de Sousa

Hoje (23) a Folha divulgou uma entrevista exclusiva com Monica Sousa, filha de Mauricio de Sousa. É difícil olhar para Mônica Sousa, 52 anos, e não se lembrar da personagem dentuça que seu pai criou. Vestindo uma camisa vermelha parecida com o vestido da Mônica do gibi, a filha do cartunista Mauricio de Sousa conversou com a "Folhinha" sobre a personagem que inspirou, a relação com a Mônica Jovem e fez um apelo: "Pai, crie personagem inspirados nos meus filhos! [ela tem dois, já adultos]".



Veja a entrevista:

Folha - Sua relação com a Mônica sempre foi boa? 
Mônica - Enquanto era pequena, foi ótimo. Acompanhava meu pai nos programas de TV, o [cantor] Jair Rodrigues me pegou no colo, a [cantora] Elis Regina me levou ao banheiro. Mas, na pré-adolescência, não gostava mais de ter inspirado a Mônica. Tiravam sarro de mim na escola. 

Você sofria bullying por causa da Mônica?
 Não, porque eu sabia me defender. Acho que a criança precisa aprender a reagir. Afinal, ela vai sofrer esse tipo de situação durante a vida inteira. Se a criança ficar em uma bolha, vai ser pior para ela.

 Sua reação era dar coelhada nos amigos da escola? 
Eu ficava brava, mas não batia neles. Mas, com as minhas irmãs em casa, eu era mais parecida com a Mônica personagem. Eu dava mesmo! 

Com qual irmã brigava mais? 
Com a Mariângela, a mais velha. Era quase todo dia. Com a Magali eu quase não brigava. 

Por que não? 
Eu era a segunda filha, a filha "sanduíche". Acho que tinha ciúme da Mariângela. E ela era muito chorona. Eu aproveitei dessa fraqueza para provocá-la. Se ela começasse a chorar, eu implicava mais ainda [risos]. 

Seus filhos também são briguentos? 
Hoje, minha filha Carol tem 30 anos. Mas, quando criança, ela foi a Mônica: batia em todo mundo. Era um doce, mas se implicasse com alguma coisa, pum! Batia. Perdi até alguns amigos por causa dela. 

Sua filha não quis ter uma personagem inspirada nela, como você? 
Meus filhos são frustrados porque não têm um personagem. Fica o apelo para o meu pai: Faça um personagem para eles! Assim param de falar na minha orelha sobre isso.

 E quando sua filha descobriu que a mãe dela era a Mônica? Qual foi a reação? 
Ela não percebia que a mãe era a personagem Mônica. Até que um dia, na escola, alguém contou. Ela chegou em casa e disse: "Mãe, estão falando que você é a Mônica." Ela devia ter uns quatro ou cinco anos na época. Quando contei que a personagem tinha sido mesmo inspirada em mim, ela respondeu: "Não acredito em você. A Mônica é a Mônica" [risos]. E tinha outro problema. Quando meus filhos ligavam para mim no trabalho [na Mauricio de Sousa Produções], a telefonista pensava que eles queriam falar com a personagem. Minha filha ficava muito brava. "Não! Eu quero falar com a minha mãe!" 

Como foi a descoberta de que você era a Mônica dos quadrinhos? 
Lembro que disse: "Olha, pai, disseram que eu sou a Mônica das tirinhas". Ele sentou comigo e me explicou que eu realmente tinha inspirado a personagem. Depois disso, quando meu pai me apresentava aos amigos, ele sempre falava: "Essa é a Mônica, a personagem". Isso virou uma confusão na minha cabeça. Hoje já aceitei que sou a Mônica da revistinha. Todo mundo me vê assim. 

E você é mesmo igual à personagem? 
Não, ela é igual a mim! 

O que acha da Mônica Jovem? 
Não interfiro nem acompanhei sua criação. Mas não me casaria com o Cebolinha [risos]. Impliquei com o cara a vida inteira! 

Como a Mônica estará daqui a 50 anos? 
Acho que ela vai evoluir de acordo com a criança da época. Mas sem ser chata, porque o politicamente correto é muito chato também. Sou totalmente contra. Se a criança é politicamente correta, ela quer agradar aos pais e aos adultos. No fundo, ela não é assim. 

O mundo está exageradamente politicamente correto? 
Sim. Se uma criança joga papel no chão, por exemplo, logo ouve da mãe: "Nossa, não esperava isso de você". Ela está recebendo um castigo muito maior do que uma palmada, porque está decepcionando a mãe dela.

Comentários

  1. Graças a Deus, a Mônica de verdade possui bastante sensatez. Acredito que se ela estiver ainda mais à frente da MSP um dia (hoje ela atua nas relações comerciais, eu acho), tudo vai melhorar.

    Boa entrevista, viu... gostei! Parabéns!

    Abraços. Fabiano Caldeira.

    ResponderExcluir
  2. Eu gostei da resposta que ela deu sobre a Mônica daqui a 50 anos. Isso mostra que há esperanças...

    ResponderExcluir
  3. Ah, essa imagem onde ela tá pondo a mão é da série História em Quadrões. Há a opção de livros com essas artes, para compra. Fiz uma postagem a respeito, acaso se interessem: http://kleitongoncalves.blogspot.com.br/2012/10/historia-em-quadroes.html

    ResponderExcluir
  4. ... e que ela não é conivente com essa chatice toda.

    ResponderExcluir
  5. Legal a opinião de vocês. Essas perguntas foram bem legais, mas a que mais gostei foi a pergunta sobre a "Mônica Jovem" em que ela respondeu: "Não interfiro nem acompanhei sua criação. Mas não me casaria com o Cebolinha [risos]. Impliquei com o cara a vida inteira! "

    ResponderExcluir
  6. Oi Matheus, já estou com a minha matéria pronta para segunda, mas não consigo acessar a sua conta do blogger !!!!!!!!!!!!

    APARECE ESCRITO:
    Nome de usuário incorreto ou senha incorreta.

    O que eu faço ????????

    ResponderExcluir
  7. Oi Luciano. Você não está digitando no 'caps lock'?

    ResponderExcluir

Postar um comentário

O Quadrinhada não se responsabiliza pelos comentários aqui publicados. Qualquer informação expressa é de total responsabilidade do autor. Comentários com palavrões serão excluídos.

EM ALTA NA SEMANA

Checklist Turma da Mônica - fevereiro/2018

O site da Comix divulgou as capas dos gibis da TM para fevereiro/2018, abaixo reproduzidas. Confira:

Mônica 34: “Meu canal na internet” 
Roteiro: Carlos Estefan


Cebolinha 34: “Os incríveis poderes de um super-herói” Roteiro: Paulo Back

Almanaque Temático #45 - Capitão Feio

Circula pelas bancas o Almanaque Temático 45, lançado em janeiro de 2018. Custa R$8,00.

Lista de histórias:
O minigame do Capitão Feio - 13 páginas - original de CC #141 (Editora Globo, junho de 1992)Exibido, eu? - 4 páginas - original de CC #204 (Editora Globo, novembro de 1994)Bebês trocados - 17 páginas - original de CC #260 (Editora Globo, dezembro de 1996)Não acredito!! - 18 páginas - original de CC #442 (Editora Globo, novembro de 2004)Que tédio - 10 páginas - original de CC #280 (Editora Globo, setembro de 1997)Proposta repelente - 17 páginas - original de CC #186 (Editora Globo, fevereiro de 1994)Dr. Olimpo x Capitão Feio - 10 páginas - original de CC #282 (Editora Globo, outubro de 1997)O porquinho borralheiro - 18 páginas - original de CC #411 (Editora Globo, outubro de 2002)Sujeira, pra que te quero - 16 páginas - original de CC #433 (Editora Globo, fevereiro de 2004)O menino da máscara do Ursinho Bilu - 18 páginas - original de CC #357 ( Editora Globo, setembro de 2000)Os t…

Checklist Turma da Mônica - Janeiro/2018

A Panini divulgou as capas das principais revistas de Janeiro de 2018, com uma novidade nada agradável. As revistas Mônica, Cebolinha e almanaques passarão a custar R$6,00, e não mais R$5,50.  As revistas com 68 páginas terão seu valor reajustado de R$4,50 para R$5,00. Outras revistas também serão reajustadas. Vale lembrar que este é o terceiro aumento desde 2016.

Mônica 33: “Os quatro amigos ilhados” 
Roteiro: Emerson Abreu Mônica, Cascão, Cebolinha e Magali vão parar em uma ilha deserta e precisarão colaborar para poder voltar para casa.


Cebolinha 33: “Uma noite no cemitério” Roteiro: Emerson Abreu Cebolinha, Mônica e Cascão perseguem Monicão para dentro de um cemitério e acabam atravessando uma passagem que os leva a um mundo paralelo.